Google+ Experimento

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Preconceituosa e machista

   Alerta: Este texto pode ser agressivo. Se você espera que eu seja ponderada como normalmente tento ser, vai se decepcionar.

    Estamos vivendo uma época em que ninguém quer aceitar críticas. Na era da "liberdade de expressão" é mais importante que nunca tomar cuidado ao expressar sua opinião, pois você pode estar ferindo algum grupo específico da sociedade.
     Estamos vivendo uma época em que a moda é se declarar contra todo tipo de "preconceito" (palavra que, ao meu ver, é usada de forma burra, a maioria das pessoas não pensam no que significa "preconceito" e em como essa palavra deve ser aplicada). Pra mim, esse é um dos discursos mais vazios de significado que conheço.
     E nesta época de "liberdade de expressão" é quando mais as pessoas querem obrigar umas às outras a calarem suas opiniões contrárias. A gorda não pode ser chamada de gorda, o negro não pode ser chamado de negro, o gay não pode ser chamado de gay. Criticar uma mulher magra não é errado, mas criticar uma gorda sim (cito mulheres porque é muito mais comum). Preferir esteticamente uma pessoa branca é coisa de gente racista, mas enaltecer a beleza de uma pessoa "da cor do pecado" é admirável. Criticar casais heterossexuais que extrapolam em demonstrações de carícias sexuais na rua é correto, mas criticar um casal homossexual que age da mesma forma é discriminação. Esses são apenas exemplos.
     Se você ri de piadas com estereótipos, se você não defende alguma minoria, se você discorda de algum discurso politicamente correto em alguma rede social: você é preconceituoso.
     Mas particularmente tem um desses grupos sociais "coitadistas" que vem me irritando ainda mais: as feministas. "Todo mundo fala mal de feminista" e com razão. Se você não concorda com um detalhe que seja do discurso delas, você é machista. Vou abrir espaço para um exemplo que me revoltou hoje mesmo:
     Um texto que li hoje no blog Escreva Lola Escreva acusava a série de comédia The Big Bang Theory de ser machista. Entre vários absurdos escritos pela autora (que aliás é gorda), ela reclama de faltarem mulheres nerds na série, que apenas os personagens masculinos gostam do universo geek, reforçando o estereótipo de que as mulheres que se dizem nerds, apenas o fazem para atrair atenção dos homens.
1- Discordo de que a falta de mulheres nerds entre os personagens da série reforce qualquer estereótipo, no máximo essa falta só constata que é raro existirem mulheres nerds.


2- A MAIORIA das garotas que se dizem nerds (especialmente gamers) só o fazem realmente para promoverem a própria imagem, visto que não conhecem nem metade do universo que os garotos nerds e/ou gamers vivem e gastam muito mais tempo investindo só na aparência "nerd sexy" mesmo.
     Fica uma lição: se você quer argumentar contra algo, use a regra e não a exceção. Querer tomar exceções pelo geral só invalida seu argumento.
     Concluindo de uma forma ainda mais pessoal e agressiva(porque eu vi que fui mais suave do que desejava ser até agora): não sou obrigada a aplaudir sua gordura, a deixar minhas preferências estéticas de lado, a não rir de qualquer piada e a acusar qualquer humor de ser ofensivo, a promover a imagem de qualquer minoria em detrimento da imagem do resto das pessoas e muito menos a admirar suas manifestações exibicionistas e paranóicas, fingindo estar lutando por algum direito feminino e acusando até os vegetais de serem machistas. Não sou obrigada a concordar com qualquer pessoa que se agarra a um rótulo "coitadista" de minoria tentando ganhar algum tipo de imunidade. E não venha me falar de preconceito sem saber realmente o que está falando.

PS: Achei que o texto ficou meio confuso ou desfocado, mas foi o melhor que consegui fazer com meu pouco tempo. Espero que tenha ficado claro de qualquer forma.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Fan art: Cruela Devil

Até que enfim finalizei.



Desenho digital não é tão fácil quanto parece, mas acho que estou evoluindo. E estou cada vez mais amando minha tablet Wacom Bamboo, faço propaganda mesmo. rs
O que acharam da minha jovem Cruela?


-Espero que tenham gostado. ;)

































domingo, 23 de fevereiro de 2014

Inspiração: Wylona Hayashi estilo Júlia Albertin.

     Quando eu tenho um tempinho, tento ir aprendendo a desenhar com a minha querida mesa digitalizadora.
     Como eu ainda tenho pouco domínio dessa ferramenta, quis fazer algum estilo de desenho mais simples. Aí tive uma ideia: fiz um desenho baseado numa foto da Wylona Hayashi só que no estilo da Júlia Albertin da página Zero à Esquerda, que eu admiro muito. O resultado foi esse:


































     A imagem de referência:


-Espero que tenham gostado. ;)

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Testando Nanquim.

     Nunca desenhei com nanquim antes e há algum tempo eu tinha curiosidade de experimentar. Enfim, ganhei uma caneta nanquim de um amigo e hoje arrumei um tempinho para testá-la e fiz um rabisco rapidinho.
     Esta aí:


     Fiz super rápido mesmo, numa folha de rascunho, sem esboço.


-Por enquanto é só isso. ;)

domingo, 26 de janeiro de 2014

Meus vídeos com Sayonara.

     Como vocês já devem saber, eu andei gravando uns vídeos tocando violão e cantando.
     Resolvi fazer uma postagem em especial aqui para falar dos vídeos que eu gravei com minha melhor amiga, Sayonara.
     Os vídeos que eu gravei junto com minha amiga, são canções que eu só conheci e aprendi a tocar por causa dela. Até há pouco tempo eu não gostava de vocais femininos (apesar de gostar de cantar), enquanto Sayonara sempre gostou de grupos com mulheres no vocal.
     Quando eu resolvi gravar meus vídeos não poderia deixar de convidar minha amiga, que na minha opinião também tem uma voz bonita, para se divertir junto comigo e gravar as músicas que eu só aprendi por causa dela. Sem falar em umas músicas que são da época em que ainda éramos crianças.
     Enfim, por causa desses vídeos pudemos passar relativamente um bom tempo juntas e nos divertir um pouco, embora tenha sido cansativo ensaiar o quanto pudemos e gravar os vídeos até que ficassem aceitáveis, pelo menos.

     Vou deixar todos os nossos vídeos reunidos neste post, espero que curtam e deixem suas opiniões nos comentários:





-Estão todos aí, espero que tenham gostado. ;)

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Vídeos, finalmente.

     Há um bom tempo que eu queria gravar uns vídeos meus cantando e tocando violão e inaugurar meu canal no YouTube. Finalmente eu resolvi tomar alguma atitude, eu havia planejado e comentado na minha página do Google Plus que até o início de 2014 eu postaria algum vídeo fazendo cover de alguma música.
     Enfim eu publiquei meus primeiros vídeos. Estou aliviada e, apesar de eu não ter jeito com a câmera, estou satisfeita, tenho que ser compreensiva comigo mesma.
     E aí estão minhas primeiras experiências:




     Percebam que no primeiro vídeo eu quase não olho para a câmera e no segundo eu me esforço para mudar isso. rs

     Tenho que agradecer meu primo Jonas e minha amiga Flávia por terem me deixado roubar seus violões enquanto estou de férias aqui na minha cidade natal. E a Carlos por ter me emprestado a câmera. ;)

- Bem, espero que gostem dos covers. ;)



terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Últimos.

Esses foram os últimos desenhos que tive tempo de fazer (e tive que fazer mais rápido que de costume), antes da minha viagem de fim de ano.
O primeiro foi inspirado numa atriz coreana e o segundo foi uma criação sem base mesmo (clique nas imagens para ampliá-las).



Deixem suas opiniões ou dúvidas nos comentários, respondo assim que puder.

-Espero que tenham gostado. ;)