Google+ Experimento: Ouça-me bem, amor.

sábado, 25 de maio de 2013

Ouça-me bem, amor.

     A gente vai caminhando e esquecendo de notar tantas coisas, tantos absurdos da vida. Como trabalhar em troca de dinheiro para trocar por coisas que deveriam ser de graça, por exemplo. E esse trabalho poucas vezes é algo que quem o faz sonhava em fazer para "ganhar a vida". "Ganhar a vida"... ou perdê-la?
     Enfim, lá vou eu divagando como sempre, mas hoje porque estou lembrando de uma canção especial que me faz pensar demais. Mas que bom que o ser humano sabe produzir música!
     Se tem algo que consegue me "drogar" nesta vida, isso é a música. Faz tempo que não saio nas minhas buscas garimpeiras por boas músicas na internet, mas certas músicas que já conhecemos nunca deixam de ser maravilhosas de se ouvir. E a que eu deixo aqui hoje é maravilhosa e triste também. Pra mim é genial.
     Quando a ouvi pela primeira vez, senti todas as emoções possíveis de se sentir simultaneamente, em cada parte de mim. Senti meus olhos abrirem-se de uma nova forma, com tanta verdade e simplicidade. Claro que isso também tem a ver com o momento que eu estava vivendo, mas a canção não deixa de ser linda.
   
     Para quem não conhece, pode se dar ao deleite e talvez às lágrimas (internas ou externas):





4 comentários:

  1. Parabéns pelo bom gosto!! Não era bem isso que eu queria dizer... Parece um convencido, dizendo "parabéns" apenas por que escolheu um a música que ele ACHA de bom gosto. Gosto não se discute, mas indiscutivelmente Cartola foi um grande compositor e esta é uma das melhores. Ouça também "As rosas não falam." Namastê!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Mas eu discordo quando você diz que gosto não se discute. Só que isso dá assunto para outra postagem... rs

      Excluir
  2. essa musica é linda demais, e é muito louco você se deparar com algumas coisas... umas das quais você, no auge da rebeldia adolescente, acha que nunca será tocado, como um dia abrir mão da militância para viver uma vida fodida de acordar cedo todos os dias... bom... as coisas vão te puxando e você nem se dá conta. E quando ouvi essa música eu me lembrei da cena de ensaio sobre a cegueira quando o senhorzinho chega no meio do lugar onde os cegos estão presos e liga o radio em uma música. Me fez lembrar porque pra mim eu me senti meio como aqueles cegos ao ouvir essa música... me calei contemplei, parei de pensar em tudo que pensava e aquilo me fez chorar pela simplicidade e sentimento enorme em um lugar só. Enfim, ela particularmente me faz ao mesmo tempo me desligar do mundo e sentir mais que tudo.
    Beijo, mulher linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tua descrição foi a melhor! Comparação com a cena de Ensaio sobre a Cegueira, não tem melhor! Mas no meu caso,era como se ele tivesse cantado a minha vida na hora em que ouvi, mais que a vida de qualquer um. Nem sei dizer como acordei naquele momento. Mas você está certa em dizer que era como uma cega ouvindo aquela música. Eu também.
      Abraços mil, amorenada de sol linda.

      Excluir